anunciar tabela de preços enviar notícia
rede social :: login
Governo prorroga auxílio emergencial no valor de R$ 300 até dezembro
São João da Boa Vista|comunicados|01/09 11:37|926 visualizações
Com a prorrogação do benefício social, o gasto total ultrapassa os R$ 260 bilhões.
 
SÃO PAULO O governo federal anunciou nesta terça-feira (1) a extensão do auxílio emergencial por mais quatro meses, até dezembro, com parcelas de R$ 300, conforme anunciou o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada após reunião com ministros e parlamentares aliados.
O valor de R$ 600 é muito caro para quem paga, no caso o Brasil. Não é um valor, muita vezes, suficiente para todas as necessidades, mas atende. O valor definido é um pouco superior a 50% do valor do Bolsa Família, disse Bolsonaro.
O calendário com as datas de pagamento das parcelas prorrogadas ainda não foi definido. O InfoMoney entrou em contato com o Ministério da Cidadania para questionar quando as datas serão divulgadas, mas a assessoria de imprensa da pasta informou que ainda não tem previsão, pois o novo calendário só será divulgado após a publicação da Medida Provisória (MP) que vai oficializar a extensão do auxílio.
Segundo dados do Ministério da Cidadania, com a prorrogação, o gasto total com o benefício social deve ficar em R$ 260 bilhões.
O pagamento das parcelas é destinado aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados, beneficiários do Bolsa Família e pessoas inscritas no Cadastro Único de programas sociais do governo federal.
Extensão do auxílio
A proposta inicial do governo era que o auxílio emergencial, criado para ajudar os brasileiros a atravessar a crise provocada pela pandemia, durasse três meses, com parcelas de R$ 200.
Mas o Congresso aprovou, em março, o pagamento de três parcelas de R$ 600. Depois o governo prorrogou o auxílio por mais dois meses, no valor de R$ 600, totalizando cinco parcelas.
Houve também alterações no formato dos pagamentos. A primeira rodada de depósitos, em abril, funcionava por data de aprovação do benefício. Ou seja, o trabalhador era aprovado pela Dataprev e enquadrado em grupos que recebiam o dinheiro de acordo com os lotes em datas determinadas.
Esse modelo incluiu os brasileiros que receberam o pagamento da primeira parcela em 9 de abril e que vigorou até meados de julho. Hoje, os trabalhadores recebem as cinco parcelas dentro de um calendário dividido em quatro ciclos.
No sistema de ciclos, o benefício é pago de acordo com a data de aniversário, então beneficiários nascidos no mesmo mês recebem o valor no mesmo dia, ainda que um deles esteja recebendo a primeira parcela e o outro a quarta.
Por exemplo: Maria e João nasceram em janeiro. Ela aguarda a segunda parcela e ele a quarta. Ambos receberão os valores na mesma data. A lógica vale para todos os meses e parcelas.
Vale lembrar que, mesmo assim, todos os aprovados receberão cinco parcelas, em períodos diferentes, até 15 de dezembro de 2020. O governo ainda não informou como vai funcionar o pagamento das novas parcelas anunciadas nesta terça-feira.
O primeiro ciclo foi encerrado em 26 de agosto, quando os nascidos em dezembro receberam o depósito de uma das suas cinco parcelas. Mas as datas que liberam os saques em dinheiro e transferências dos valores distribuídos neste ciclo seguem até 17 de setembro.
Nesta quarta-feira (2), os nascidos em fevereiro receberão mais uma parcela.
Renda Brasil
Com a prorrogação do auxílio emergencial, o governo ganha tempo para ampliar e ajustar o funcionamento do Renda Brasil, programa que vai substituir o Bolsa Família.
O novo programa, que deve ser o marco social do governo Bolsonaro, será anunciado em um segundo momento para que o ministro da Economia, Paulo Guedes, tenha mais tempo para acomodar o custo dentro do teto de gastos, que limita os gastos do governo e impede que as despesas públicas subam acima inflação.
 
Fonte: https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/governo-prorroga-auxilio-emergencial-no-valor-de-r-300-por-mais-quatro-meses/



enviar notíciaenviar informaçõesenviar foto comentar

Comentar usando as Redes Sociais
01/09 11:46

Se os políticos abrissem mão do bilionário (2 bi) Fundo Partidário, se as autoridades e políticos abrissem mão de seus inúmeros benefícios (nunca se consegue mensurar o valor de tão alto) completamente supérfluos, além de milhares de outras despesas da mesma natureza supérflua nos 3 governos, daria para melhorar significativamente essa ajuda, mas... estamos no Brasil, o país do desperdício consciente!!!

01/09 16:02

ai cavalo churrasco garantido com a familia

02/09 14:15

Nossa mudou minha vida posso ficar tranquilo agora com esse valor vou comer bem todos os dias

03/09 22:40

Enquanto isso, políticos ganhando a mesma coisa e bancos recebendo mais de um trilhão do governo.

05/09 23:21

Essa aí do Facebook, pelo jeito, não tá nem aí pra quem perdeu o emprego com a pandemia...

Comentar esta notícia

comentário

(500 caracteres)

nome completo
cidade