anunciar tabela de preços enviar notícia
rede social :: login
Metalúrgica de São João da Boa Vista demite 70 funcionários
São João da Boa Vista|geral|30/04 10:35|3290 visualizações
A metalúrgica PDV encerrou as atividades em São João da Boa Vista (SP) e demitiu todos os 70 trabalhadores sem aviso prévio. O comunicado foi feito aos funcionários após o expediente, na segunda-feira (27). A empresae informou que irá pagar apenas 50% das verbas rescisórias e o sindicato pediu uma liminar, concedida pela Justiça, para o bloqueio dos bens.
Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São João da Boa Vista, José Roberto Moreira, o fechamento da metalúrgica foi feito sem comunicação à entidade nem à prefeitura que pagava o aluguel do barracão onde a empresa funcionava.
&ldquoEstá usando da pandemia para dispensar os funcionários em massa. Não deram oportunidade de o sindicato negociar&rdquo, afirmou.
Crise do coronavírus
O Diretor Industrial da metalúrgica D7, de Pirajuí (SP), dona da PDV, José Papile, disse que a filial de São João da Boa Vista, que fabricava displays, gôndolas e outros produtos para pontos de venda, foi fechada porque o mercado parou devido à crise causada pela pandemia de coronavírus.
Tivemos muitos contratos cancelados, muitos clientes pediram adiamento dos pagamentos por 90 dias. Nós optamos em reduzir a [unidade] que tinha a menor participação.
Ele reconheceu que adiou a comunicação ao sindicato. A estratégia foi segurar a informação até o último momento para então informar a prefeitura. Se essa informação vaza, o sindicato não ia deixar nem a gente encerrar as atividades. Criaram um ambiente desproporcional incentivando os funcionários a ir contra a diretoria da empresa, afirmou.
Segundo o diretor, a matriz, em Pirajuí também teve demissão de 80 funcionários, além da suspenção do contrato de 30 trabalhadores e redução de jornada de mais 60.
Disse que a empresa se embasou na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) para o acerto dos funcionários que permite que em caso de fechamento da empresa, ainda mais agravado por ser em situação de calamidade pública, permite o pagamento de metade das verbas rescisórias. Afirmou ainda que a empresa está seguindo a lei para garantir que os funcionários demitidos possam obter seus direitos.
Foi pensando nos funcionários porque ao dispensá-los, eles vão receber o seguro desemprego total, sacar o Fundo de Garantia que está 100% depositado e como o encerramento se deu em termos do artigo 502 da CLT a gente pode pagar 50% das verbas rescisórias, disse.
Bloqueio de bens
Nesta quarta-feira (29), a Vara do Trabalho concedeu uma liminar determinando o bloqueio dos bens da empresa, a pedido do sindicato, como forma de garantir o pagamento dos direitos trabalhistas dos funcionários.
O aluguel de R$ 84 mil do barracão onde a empresa funcionava era pago pela Prefeitura de São João da Boa Vista desde que a empresa se instalou na cidade, em 2013. Segundo a administração municipal, o contrato de pagamento do aluguel será rescindido e a lei que concede este benefício, revogada.
Papile disse que quer retirar os equipamentos para desocupar o imóvel, pago pela prefeitura. Ele afirmou ainda que a empresa irá recorrer da liminar, uma vez que ela foi dada pela Justiça Trabalhista e empresa fará o pagamento dos trabalhadores em 4 de maio conforme determina a lei.
 
Fonte: G1
 
 
enviar notíciaenviar informaçõesenviar foto comentar

Comentar usando as Redes Sociais
Fernando Tassoni
São João da Boa Vista
30/04 11:59

Esta informação, sobre o valor do aluguel, foi checada?

sem caro e sem cavalo
São João da Boa Vista
30/04 16:30

Eu só não consigo entender uma coisa: pq a prefeitura paga $ 84.000,00 de aluguel em um barracão, que foi construído em um terreno DOADO pela própria prefeitura???

01/05 06:44

Quer que desenhe? Não precisa ser muito inteligente.

Luis
São João da boa vista
30/04 22:03

Serras coisas é melhor não enterdermos

Ana silva
sj
01/05 07:48

Gafanhotagem. Com o lucro dessa filial, expandiram a planta de Pirajuí terra do Dono. Tudo feito de caso pensado. Desde lá do início, com a tecelagem Pirituba, colchões Serta, é gafanhotagem. Incentivo demais aos de fora, e dá-lhe impostos aos empresários sanjoanenses.

04/05 08:38

fizeram certo, aqui o povo não gosta de trabalhar, 99% das pessoas que passaram pela empresa deram problemas.. esta e outras estão desistindo de SJ pelas falta de profissionalismo das pessoas.

01/05 14:21

ja era todo tudo

Revoltado
Sjbv
02/05 12:37

Parabéns e prefeitura que incentiva esse tipo de empresário. Esta na hora de dar incentivos a indústrias de grande porte ate mesmo para melhorar o nível de salario e reduzir os empresários exploradores de mão de obra.

02/05 14:33

Política da Amélia

03/05 19:32

Vide supermercado em cada esquina.

Revoltado
Sjbv
04/05 07:13

Realmente...tem mais supermercado abrindo do que indústria...vamos ver de onde vão tirar dinheiro para gastar no supermercado.

04/05 08:41

Acho que dinheiro aqui não é problema, pois as industrias da cidade estão quase todas paradas, já os supermercados tem filas e mais filas de domingo a domingo.

04/05 08:40

kkkk, industrias de grande porte não investe em SJ não existe atrativo nenhum aqui e nem mão de obra para tal. E uma coisa é certa quanto maior a empresa maior o numero de demitidos em uma crise. Nos tempos aureos de uma grande empresa de mineração aqui em SJ, cada crise era 400, 500 pessoas demitidas de uma unica vez.

Revoltado
Sjbv
04/05 19:29

Aí já é questão de matemática meu amigo. Obviamente quanto maior a empresa maior é a contratação e maior o numero de demissão. Se sua empresa tem 2 funcionários e voce reduz 50% obviamente voce manda 1 embora. Se voce gera 10 mil empregos...reduzir sua folha de pagamento em 50% significa demitir 5 mil funcionários. Contudo voce ainda mantem 5 mil pai de famílias! Ou voce acha que o herói é o que mandou apenas 1 funcionário?

03/05 22:27

Se te responderem o por que desse aluguel, muitas sugerira vem a tona, daí vão dizer que o barracão pertence a uma outra empresa, que por sinal é dona de todos os barracões desse "convênio" e assim uns ganham e reganham..

Comentar esta notícia

comentário

(500 caracteres)

nome completo
cidade